História do CRSI 1941-2016

História do Colégio da Rainha Santa Isabel
1941-1988

“Procuremos todos os meios de melhorar, aperfeiçoar e despertar a emulação das crianças que são conFiadas aos nossos cuidados”. (Ana Maria Javouhey, Carta 108)

A partir de 1941, o novo Colégio Rainha Santa Isabel impõe-se de forma indelével na cidade de Coimbra. Esta instituição privada de utilidade pública sem Fins lucrativos, tutelada pela Congregação de São José de Cluny, atualiza uma pedagogia que assenta na pessoa, na vida e na visão educativa de Ana Maria Javouhey, fundadora da Congregação.

Os Patronos do Colégio são S. José, a Rainha Santa Isabel e Ana Maria Javouhey, cujas celebrações são a 19 de Março, 4 de Julho e 15 de Julho, respetivamente.

As atividades formativas do Colégio continuam a promover a interligação e o compromisso entre a cultura humana e a mensagem cristã, apresentando caminhos de crescimento global para os alunos nas dimensões pessoal, social, religiosa, artística e académica.

Em 1949, funda-se a secção missionária e a escola de Santa Ana para crianças carenciadas, com ocupação imediata de 45 meninas, orientadas por uma Irmã na instrução básica e nas artes manuais e também aqui alimentadas.

Em 1959, abre-se uma secção de ensino infantil em regime de co-educação. Em 1972, este regime misto entre em vigor no nível de ensino primário, estendendo-se progressivamente até ao 12o ano.

Até à década de 70, o número de alunos ronda os 350 em cada ano letivo, sendo as alunas internas cerca de 80, em média. Em 1982, há registo de um aumento progressivo de alunos que, neste ano, ultrapassam os 600. O Internato encerra deFinitivamente em 1984.

Todas as dinâmicas desenvolvidas no Colégio – aulas, atividades pastorais ou artísticas – são suportadas por educadores, docentes e não docentes, que assumem uma missão exemplar. A conceção das atividades parte da ideia- síntese “Estar em toda a parte onde há sofrimento e dor, bem a fazer”, toma Jesus Cristo como modelo de pessoa e multiplica-se, depois, em valores, atitudes e critérios que iluminam e orientam a forma de ser, estar e avaliar de feição Cluny, que atrai jovens e famílias da cidade e do país.

 


1988-2016

«Sede do vosso tempo.» Ana Maria Javouhey

A 13 de agosto de 1988, chega ao Colégio uma nova diretora com um rasgo visionário e espírito magnânimo, a Irmã Maria da Glória de Campos Cordeiro.
Aporta consigo a consciência clara e a experiência de que uma escola cluny é herdeira de uma tradição pedagógica secular, cujos princípios e pressupostos devem marcar a praxis educativa nas diversas vertentes da instituição.

AJirma um Ideário e Projeto Educativo assente numa visão normativa e hierarquizada, com interdependência entre as vertentes religiosa, científica, artística e cultural, profundamente fiel ao carisma de Ana Maria Javouhey, no seguimento de Cristo, e criativa na resposta aos apelos da modernidade.

O funcionamento ordinário da escola é deJinido pelo seu Regulamento Interno. Enquanto instrumento normativo da autonomia do Colégio, deJine as regras que asseguram o cumprimento dos objetivos do projeto educativo, a harmonia das relações interpessoais, o pleno desenvolvimento Jísico, intelectual, moral, religioso e cívico dos alunos, a preservação da segurança destes, do património da escola e dos restantes membros da comunidade educativa, assim como a realização proJissional e pessoal dos docentes e não docentes.

O modelo de educação integral instituído pelo Ideário e Projeto Educativo do CRSI inspira-se na conceção cristã do homem, da vida e do mundo, e desaJia a comunidade educativa a participar ativamente na transformação e no melhoramento da sociedade, seguindo as orientações da Igreja e da Congregação a que pertence. Assim, concretizam-se anualmente iniciativas propostas pelo Plano Anual de Atividades.

A programação da ação educativa do Colégio formaliza-se através de instrumentos reguladores como são o Projeto Curricular de Escola para a educação Pré-escolar e ensinos Básico e Secundário – estabelece prioridades de atuação ao nível das competências essenciais e transversais, proporcionando uma visão global das situações e uma construção interdisciplinar e integrada dos saberes – e o Plano Geral de Formação – instrumento de planeamento, coordenação e coesão entre todos os sectores de atividade da escola, garantindo apenas uma linha educativa.

A década de 90 reforça o esforço quotidiano de implementar plenamente o carisma cluny ao contexto cultural e social. Projetam-se profundas modernizações dos equipamentos escolares e em 1998 inaugura- se um novo edifício contíguo ao original. Áreas amplas e bem apetrechadas para biblioteca, laboratórios, salas de artes visuais, música e dança, um auditório e um pavilhão polivalente, bem como recreios abertos e cobertos preparam o espaço para acolher a crescente procura. Na viragem para o século XXI, o número de alunos no CRSI aproxima-se de um milhar de crianças e jovens, interpelados a uma ação cada vez mais virada para a Europa e para o mundo. A partir de 2003, os alunos contam com uma Associação de Estudantes eleita anualmente, graças ao esforço pioneiro de Mariana Piçarra, a primeira presidente.

A missão do CRSI torna os seus agentes corresponsáveis pela sua gestão de acordo com a identidade, o Ideário e o Projeto Educativo. Ao longo desta etapa, assiste-se a um aperfeiçoamento logístico, normativo e pedagógico que garante a conJiança e o prestígio da instituição.

 


 

Resenha Histórica do Colégio

  • O Colégio de Santa Isabel começou a funcionar com Instrução Primária, em sistema de co-educação, antes de 1900
  • Em 1928, estabeleceu-se o ensino secundário (data do Alvará). Nesta altura, o Colégio funcionava na Rua José Falcão, n.º18, sob a direcção de D. Octávia Neves, a “Avozinha do C.A.D.C.”
  • Em 1930 passou a ser dirigido pelas Irmãs da Congregação de S. José de Cluny
  • Em Fevereiro de 1938 fez-se a aquisição da colina onde se encontra situado o novo edifício. A Superiora era, nesta altura, a Irmã Maria de Jesus de Sousa, Condessa de Vila Real
  • A aquisição do terreno fez-se a 3 de Março de 1938
  • A 4 de Julho de 1939, foi lançada a primeira pedra do novo Colégio da Rainha Santa Isabel
  • Em 1941, a 4 de Julho, inaugurou-se e transferiu-se para o actual edifício, construído sob a orientação da Condessa de Vila Real, à data Religiosa Superiora e Directora do Colégio

  • Em 1931 Iniciou o Internato feminino
  • A partir de 1947 deixou de ter ensino masculino
  • Em 1959 abriu uma secção de Ensino Infantil em regime de co-educação
  • Em 1972 recomeçou a leccionar com rapazes, na Instrução Primária e, actualmente, tem co-educação desde a Infantil até ao 12º ano
  • No final do ano lectivo de 1984 encerrou definitivamente o Internato
  • Em 1978 começou a usufruir do Paralelismo Pedagógico
  • Em 1984 passou a funcionar em regime de autonomia pedagógica
  • Em 1988, integrou-se no projecto Escola Cultural, AEPEC, que veio dar-lhe uma abertura internacional
  • Em 1991 celebrou o seu PRIMEIRO CINQUENTENÁRIO
  • Foi admitida, em 1992, a ESCOLA ASSOCIADA DA UNESCO
  • Também em 1992 se tornou associada do G.E.R.F.E.C – GROUPE EUROPEEN D’ÉTUDE ET DE RECHERCHE POUR LA FORMATION DES ENSEIGNANTS CHRÉTIENS
  • Em 1996 foi a celebração do 1º CENTENÁRIO da chegada das Irmãs a Coimbra
  • Em 1996 assistiu-se à demolição do velho ginásio e deu-se início à nova construção

O Colégio foi enriquecido com vários espaços: Sala de Dança, Sala de Audio-Visuais, Biblioteca, Sála de Música, Laboratório de Biologia e de Físico-Química, Sala Cluny (espaço dedicado aos alunos); Bar, Recreio Coberto, Auditório Ana Maria Javouhey, com capacidade (pará 331 pessoas, dotado de cabinas de tradução simultânea para Congressos Nacionais e Internacionais; Sala de Judo, um Polivalente com três ginásios, equipados com banccdas telessópicas que dão lugar a 1014 pessoas sentadas. Neste espaço, também dotado de cabinas de tradução simultânea, efectuam-se os Grandes Festivais Artísticos que o Colégio promove, a nível Interno e a nível Europeu.

  • Em 1998 o Colégio promoveu o Grande Fórum “Euro-Jovens”, já nas novas instalações. (Embora ainda não concluídas)
  • Em 1999 foram inauguradas as novas instalações
  • Neste mesmo ano, 1999, foi atribuído ao Colégio a Concessão da Autonomia Pedagógica,por tempo indeterminado, ao 2º ciclos; e 3º ciclos do Ensino Básico
  • Em 2001 foi concedida(Autonomia Pedagógica, tambfeacute;m por tempo indeterminado, aos Agrupamentos 1º, 2º, 3º e(4º do Ensino Secundário, com a ressalva de que(se deveria tornar a pedir essa mesma Autonomia, após a Revisão Curricular do mesmo nível de ensino
  • Em 2002 as obras de remodelação e restauro permitiram ao Colégio usufruir de um maior número de salas
  • Em 2003, após vistoria ao Colégio, foi alterada a lotação existente para 982 alunos
  • Em 2004, foi atribuído ao Colégio a Concessão da Autonomia Pedagógica, por tempo indeterminado, ao 1º ciclo do Ensino Básico