Artes Visuais

Artes Visuais

A expressão plástica no primeiro ciclo do Colégio é lecionada pela professora tutora, sendo que o trabalho que se desenvolve procura a liberdade criativa e expressão livre, dentro das diferentes áreas de desenvolvimento. A manipulação e experiência com os materiais, com as formas e com as cores, procura proporcionar descobertas sensoriais no sentido de promover nas crianças uma forma de expressar o seu mundo interior e representar a realidade. A exploração livre de materiais e técnicas procura despertar a imaginação e a criatividade, bem como a destreza manual. Algumas visitas de estudo e o contacto permanente com o meio envolvente, dentro e fora da escola, vão permitindo criar um maior conhecimento da realidade e das coisas, propondo-se alargar as suas experiências e desta forma a sua capacidade de intervir. O Tema Cultural que é trabalhado transversalmente e que vai mudando de ano para ano é sem dúvida o Leitmotiv da atividade da expressão plástica do primeiro ciclo. Neste contexto desenvolvem-se atividades com vista à representação gráfica e à exploração de vários materiais:

  • Lápis de cor, carvão, cera, giz, etc., porque através da introdução de diferentes materiais/suportes e de atividades sugeridas, os alunos poderão aprofundar as suas capacidades de expressão e representação gráficas;
  • Suportes variados: papéis de diferentes texturas, espessuras, tamanho, formas porque fazer construções permite a exploração da tridimensionalidade, constituindo um desafio à capacidade de transformação e criação original;
  • Pintura, com exploração de várias técnicas e utilizando diferentes suportes e materiais (pincéis, corpo, escovas, carimbagem, esponjas, rolos, frutos, legumes, etc.), porque os aspetos expressivos, como as crianças utilizam o espaço da pintura, como pegam os materiais, ou preenchem as superfícies ou como usam, podem transmitir informações importantes quer na capacidade percetiva, imaginativa ou motora;
  • Modelação com vários materiais (massa de cores, plasticinas, barro, etc.), porque amassar, separar, esticar, alisar, proporcionam explorações sensoriais importantes, na libertação das tensões e o desenvolvimento da motricidade fina.

Na Educação Visual os professores procuram, em articulação com outras áreas disciplinares, definir no início de cada ano letivo projetos fundamentados em ações e experiências, com o objetivo de desenvolver nos alunos a curiosidade, imaginação, criatividade e processos, contribuindo desta forma para estimular o gosto pela descoberta, facultando desta forma, como consignado nas novas metas curriculares, vivências de diferentes universos visuais que se estruturam nos domínios da técnica, da representação, do discurso e do projeto. O trabalho que se desenvolve é sobretudo baseado em projetos, método de ensino privilegiado, pelo qual o aluno se torna um agente ativo das suas aprendizagens. O trabalho realizado, também com forte dependência do tema cultural da escola, é alicerçado em procedimentos de carácter sistemático e metodológico; registo, comunicação, esquematização e também no incentivo à construção de discursos específico. O trabalho que se desenvolve entronca com os conteúdos específicos que, no 2.º ciclo são: o contacto com os materiais básicos de desenho, os elementos constituintes da forma, a comunicação e narrativa visual, cor, espaço, património e discurso. No 3.° Ciclo, todo o trabalho encontra centralidade na representação de formas geométricas, desenho expressivo, sólidos e poliedros, Design, luz-cor, expressão e decomposição da forma, comunicação visual, Arquitetura, perspetiva, perceção visual e construção da imagem, arte e património e Engenharia.

No curso científico-humanístico de Artes Visuais os professores procuram, nas disciplinas de Desenho e Oficina de Artes, uma abordagem também centrada em pedagogia de projetos, ajudando o aluno, de forma progressiva a dominar, perceber e comunicar, de modo eficiente através dos meios expressivo do desenho, e pela vertente da Oficina de Artes, a concretizar plasticamente formas bi e tridimensionais associadas aos fenómenos da comunicação visual.

O Desenho como disciplina essencial à criação, conceção, projeção e comunicação é uma área estruturadora a muitas áreas profissionais e por isso procura-se abordar conteúdos de outras áreas, trabalhando desta forma articuladamente com outras disciplinas, por exemplo: com a Matemática, no trabalho da geometria aplicada e trigonometria; na disciplina de Português com a ilustração de textos que integram o plano de estudos do secundário; na Física com a análise e reprodução gráfica dos efeitos fenomenológicos da Luz e Cor; na Biologia com a análise e representação de elementos da natureza, compreendendo as respetivas estruturas; Na história pela análise e interpretação dos vários períodos artísticos na pintura, escultura ou arquitetura; na Filosofia na construção de discursos ricos e sustentados por uma visão holística; na Educação Moral e Religião Católica, pela análise, interpretação e representação da simbologia, com particular ênfase no período renascentista e barroco; na Dança na produção de cenários temáticos; na Educação Física no desenho e construção de jogos para as atividades lúdicas e desportivas.

Os professores procuram gerar um clima propício à aprendizagem através de debates, crítica e confrontos, bem como na participação ativa em várias iniciativas propostas no PGF. A pedagogia de proximidade e o trabalho baseado em projetos, estimula o desenvolvimento estético e apura o sentido da qualidade.

“A arte não está separada da vida comunitária, faz parte integrante dela” (CNEB, 2001).

The meaning of a work of art’ “is not concerned with trying to answer the pseudo-question ‘What does the work mean? But rather with the question of the relation of the formal element in art to the expressive or content element – what has been described… as ‘life-values. (Hospers, 1947)